Mitologia

A estranha capacidade de sobrevivência encontrada nos mitos pode ser testada nos Açores, um Arquipélago muito distante do Continente Europeu, isolado e só recentemente descoberto (pouco mais de cinco séculos), e no entanto, cheio de memórias ancestrais, anonimamente levadas pelas populações colonizadoras.

O vestígio mais evidente das mitologias Indo-Europeias, presente nas Celebrações Tradicionais Açorianas, é a prática (e o modo) como são festejadas datas paradigmáticas do Calendário Cósmico.
A explicação para a persistência deste fenómeno estará no papel desempenhado pelo território que agora é Portugal, durante as últimas glaciações. Oferecendo um lugar propício aos grupos em migração por uma Europa gelada, o seu clima temperado e os seus vales prósperos pareceram perfeitos para uma estadia prolongada.

Importante informação empírica prova que estas condições propiciaram abrigo a vários grupos étnicos que nessa parte da Europa viveram e deixaram as suas memórias.

Anta de Monte Ruivo (IPPAR)
Sítios pré-históricos têm sido encontrados com frequência, provando uma grande dispersão nesta área. Uma rápida abordagem a este assunto pode ser obtida, com acesso a itinerários, no site arqueológico: http://www.ippar.pt/, Do mesmo modo, o Museu Nacional de Arqueologia

exibe documentos (http://www.mnarqueologia-ipmuseus.pt/) em pedra esculpida, como sejam monumentos funerários, religiosos e outros, encontrados dispersos no território continental.

Museu Nacional de Arqueologia
Eles são o testemunho material que concretiza crenças, práticas e magias (subjacentes às celebrações populares agora existentes nos Açores).

Escultura de Janus, deus romano, encontrada em Angra
Deuses e Deusas, alguns com influência dos Panteões Gregos e Romanos, outros aparentemente locais (embora inspirados em teologias idênticas), têm sido invocados através dos tempos, para protecção dos habitantes deste território (posteriormente conhecidos como “portugueses”), contra os medos e terrores desses tempos.

Escultura encontrada em Angra, representando a mitologia do peixe
Navegando no Oceano Atlântico e descobrindo as Ilhas dos Açores, levaram consigo esta herança imaterial que sobreviveu durante séculos, não só às depurações praticadas pela Inquisição Católica, mas também à mudança de mentalidades que acontece com a Industrialização e a Idade Moderna.

Representação das riquezas do mar. Museu de Angra.
Os ideais da Industrialização não encontraram boa aceitação nas ilhas. Presa à agricultura tradicional e à terra, a vida dos Açorianos tem sido regulada pelas mitologias agrárias, imbricadas num aparente desenvolvimento.

Bezerro ritual do Culto do Espírito Santo
No passado, preponderantemente ocupados com práticas de horticultura de sobrevivência, adaptada a pequenas porções de terra, ficaram presos às influências da tradição, que encontrou sustentabilidade para as mitologias herdadas.

Pintura Colégio dos Jesuítas, Ponta Delgada
Muitas das presentes celebrações tradicionais populares, ou festividades dos Açores, estão ligadas ao Calendário Cósmico (sequência de Solstícios e Equinócios), como reminiscências de rituais e práticas dirigidos aos deuses do Neolítico Europeu.